02OUT

1º Oficina de Submissão de Artigos da Pará Research Medical Journal

Na oficina, os candidatos a submissão de artigos receberam informações de como evitar erros que tem sido comuns no momento da submissão desde falhas na redação do artigo, omissão de documentos obrigatórios, até a aprovação no comitê de ética, já que as pesquisas envolvem seres humanos”, esclareceu o Editor Chefe

http://www.santacasa.pa.gov.br/ensino/noticias/detalhe/?id=539

Pará Research Medical Journal
https://www.prmjournal.org/article/doi/10.4322/prmj.2019.021
Pará Research Medical Journal
Relato de Caso Psicologia

Automonitorização, qualidade de vida e adesão ao tratamento em Diabetes Tipo 2: relato de caso

Self-monitoring, quality of life and adherence to treatment in Type 2 Diabetes: case report

Luciane Ramos, Eleonora Arnaud Pereira Ferreira, Daniela Lopes Gomes

Downloads: 0
Views: 17

Resumo

Objetivo: O presente estudo analisou o efeito de automonitorização com feedback sobre indicadores emocionais, qualidade de vida e adesão ao tratamento em um paciente com diabetes. Método: Participou deste estudo um adulto de 57 anos com diabetes Tipo 2. Os instrumentos utilizados foram: Prontuário; Roteiros de entrevista; Inventário de sintomas de estresse de Lipp; Escalas Beck de ansiedade e de depressão; Questionário SF-36. Resultados: Ao início do estudo o participante apresentou estresse na fase de resistência, 9,2% de hemoglobina glicada (HbA1c), com baixo índice de adesão à dieta, mas com percepção de boa qualidade de vida. Após intervenção, obteve 6,7% de HbA1c e melhora nos indicadores emocionais. Não ocorreu mudança na adesão à dieta e à atividade física. Conclusões: Os resultados sugerem que houve melhora nos indicadores emocionais e no valor de HbA1c mesmo não ocorrendo melhora na adesão à dieta e à prática de atividade física.

Palavras-chave

adesão ao tratamento; automonitorização; diabetes Tipo 2; qualidade de vida; relato de caso

Abstract

Purpose: The present study analyzed effect of self-monitoring with feedback on emotional indicators, quality of life and adherence to treatment in a patient with diabetes. Methods: A 57 year-old adult participated in this study with Type 2 diabetes. The instruments used were: Medical records, interview scripts, Lipp Stress Symptoms Inventory (LSSI), Beck Depression Inventory (BDI) and Beck Anxiety Inventory (BAI); and Questionnaire SF-36 were used as data collection. Results: Initially, the participant demonstrated stress in the resistance phase, 9,2% of glycated hemoglobin (HbA1c), with low adherence to diet but with perception of good quality of life. After the intervention, the participant demonstrated 6,7% of HbA1c and improvement in the emotional indicators’ levels. Neither adherence to diet nor physical activity degrees changed during the study. Conclusions: The results suggest improvement in emotional indicators and in HbA1c levels, even though it has not caused improvement in adherence to diet and in physical activity practice.

Keywords

adherence to treatment; self-monitoring; Type 2 diabetes; quality of life; case report.

Referências

1. Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da sociedade brasileira de diabetes: 2017-2018. São Paulo: Clannad; 2018.

2. World Health Organization. Global report on diabetes. Geneva: WHO; 2016 [citado em 2018 fev 02]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/204871/9789241565257_eng.pdf?sequence=1

3. American Diabetes Association. Lifestyle management: standards of medical care in diabetes. Diabetes Care. 2019;42(1 Suppl):S46-60. http://dx.doi.org/10.2337/dc19-S005. PMid:30559231.

4. Bernini LS, Barrile SR, Mangili AF, Arca EA, Correr R, Ximenes MA, et al. O impacto do diabetes mellitus na qualidade de vida de pacientes da Unidade Básica de Saúde. Caderno Brasileiro de Terapia Ocupacional. 2017;25(3):533-41. http://dx.doi.org/10.4322/2526-8910. ctoAO0899.

5. Silva SA, Alves SHS. Conhecimento do diabetes tipo 2 e relação com o comportamento de adesão ao tratamento. Estud Interdiscip Psicol. 2018;9(2):39-57. http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2016v9n1p39.

6. Khandelia V, Kumar V, Garg A. Depression and anxiety in patients with chronic kidney disease undergoing hemodialysis. Annals Indian Psychiatry. 2018;2(2):115-9. http://dx.doi.org/10.4103/aip.aip_12_18.

7. Gusmai LF, Novato TS, Nogueira LS. A influência da qualidade de vida na adesão ao tratamento do paciente diabético: revisão sistemática. Rev Esc Enferm USP. 2015;49(5):839-46. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000500019. PMid:26516756.

8. Lee YS, Jung WM, Jang H, Kim S, Chung SY, Chae Y. The dynamic relationship between emotional and physical states: an observational study of personal health records. Neuropsychiatr Dis Treat. 2017;13:411-9. http://dx.doi.org/10.2147/NDT.S120995. PMid:28223814.

9. Shofany C. Quality of life among chronic disease patients. Nurse Care Open Access J. 2017;4(2):385-94. http://dx.doi.org/10.15406/ncoaj.2017.04.00103.

10. World Health Organization. Adherence to long- term therapies: evidence for action. Genebra: WHO; 2003 [citado em 2019 mar 06]. Disponível em: http://www.who.int/chp/knowledge/publications/adhere nce_full_report.pdf

11. Malerbi FEK. Estratégias para aumentar a adesão em pacientes com diabetes. In: Guilhardi HJ, Madi MBBP, Queiroz PP, Scoz MC, organization. Sobre comportamento e cognição: expondo a variabilidade. Santo André: ESETec; 2001. p. 257-268.

12. Casseb MS, Ferreira EAP. Treino em automonitoração e comportamentos de prevenção de diabetes Tipo 2. Estud Psicol. 2012;29(1):135-42. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2012000100015.

13. Gomes DL, Ferreira EAP, Souza CMC. Automonitoramento e adesão a dois tipos de regras nutricionais em adultos com diabetes Tipo 2. Acta Comport. 2012;20(3):327-42.

14. Ramos L, Ferreira EAP, Najjar ECA. Efeitos de automonitorização sobre indicadores emocionais e adesão ao tratamento do diabetes. Psicol Saude Doencas. 2014;15(3):567-85. http://dx.doi.org/10.15309/14psd150302.

15. Bohm CH, Gimenes LS. Automonitoramento como técnica terapêutica e de avaliação comportamental. Rev Psicol. 2008;1(1):88-100.

16. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de Classificação Econômica Brasil [Internet]. São Paulo: ABEP; 2016 [citado em 2019 fev 22]. Disponível em: http://www.abep.org/criterio-brasil

17. Lipp MEN. Inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2000.

18. Conselho Federal de Psicologia. Resolução nº 009, de 25 de abril de 2018. Estabelece diretrizes para a realização de Avaliação Psicológica no exercício profissional da psicóloga e do psicólogo, regulamenta o Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos - SATEPSI e revoga as Resoluções nº 002/2003, nº 006/2004 e nº 005/2012 e Notas Técnicas nº 01/2017 e 02/2017 [Internet], Brasília, DF; 25 abr 2018 [citado em 2019 jun 16]. Disponível em: http://satepsi.cfp.org.br/legislacao.cfm

19. Cunha JA. Manual da versão em português das Escalas Beck. Tradução de Jurema Alcides Cunha. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2001.

20. Ciconelli RM, Ferraz MB, Santos W, Meinão I, Quaresma MR. Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol. 1999;39(3):143-50.

21. Fisberg RM, Marchioni DML, Colucci ACA. Avaliação do consumo alimentar e da ingestão de nutrientes na prática clínica. Arq Bras Endocrinol Metab. 2009;53(5):617-24. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302009000500014.

22. Baldoni NR, Oliveira REM, Franco LJ, Fabbro ALD. Adesão ao tratamento farmacológico de pessoas com Diabetes Mellitus Tipo 2. Rev Bras Farm Hosp Serv Saúde. 2016;7(4):15-19.

23. Cradock KA, ÓLaighin G, Finucane FM, Gainforth HL, Quinlan LR, Ginis KAM. Behaviour change techniques targeting both diet and physical activity in type 2 diabetes: A systematic review and meta-analysis. Int J Behav Nutr Phys Act. 2017;14(1):18. http://dx.doi.org/10.1186/s12966-016-0436-0. PMid:28178985.

5dbb2da30e8825df3c87de2c prmjournal Articles
Links & Downloads

PRMJ

Share this page
Page Sections