02OUT

1º Oficina de Submissão de Artigos da Pará Research Medical Journal

Na oficina, os candidatos a submissão de artigos receberam informações de como evitar erros que tem sido comuns no momento da submissão desde falhas na redação do artigo, omissão de documentos obrigatórios, até a aprovação no comitê de ética, já que as pesquisas envolvem seres humanos”, esclareceu o Editor Chefe

http://www.santacasa.pa.gov.br/ensino/noticias/detalhe/?id=539

Pará Research Medical Journal
https://www.prmjournal.org/article/doi/10.4322/prmj.2019.017
Pará Research Medical Journal
Artigo de Pesquisa Medicina

Prevalência de indícios de depressão em estudantes de medicina em Belém, Pará

Prevalence of depression signs among medical students in Belém, Pará

Andressa Miléo Ferraioli Silva, Vitor Hugo Nunes do Nascimento, Wanessa Cardoso Praia, Jorge Tadeu Campos Paixão, Luis Fernando Freitas de Sousa, Sérgio Cunha Trindade Júnior, Luciana Brandão Carreira

Downloads: 2
Views: 33

Resumo

Objetivo: Determinar a prevalência de indícios de depressão e sua quantificação em estudantes de Medicina segundo o Inventário de Depressão de Beck. Método: Foram analisados protocolos de pesquisa aplicados para 220 alunos de medicina do 1° ano e 4° ano de instituições pública e particular em Belém/PA. Foram coletados dados referentes a idade, sexo, estado civil, procedência, entre outros. Utilizou-se o Inventário de Depressão de Beck para avaliar a presença do transtorno depressivo. Resultados: A faixa etária predominante foi de 19 a 22 anos, representando 50,9%. Dos entrevistados, 62,7% foram mulheres. Quanto ao estado civil, apenas 5% dos alunos eram casados e 95%, solteiros. Aproximadamente 79,1% dos alunos eram procedentes de Belém e somente 5% provenientes de outro estado. Finalmente, o grau de depressão encontrado foi: 59,5% sem depressão, 25,1% leve/ moderada, 7,7% moderada/ grave e 3,6% gravíssima. Foi predominante a presença de sinais depressivos leves em acadêmicos do 1º ano de ambas as universidades (32,5%) quando comparadas com do 4º ano (25%). Ademais, os índices de alunos que não apresentavam sinais de transtorno depressivo foram mais elevados em alunos do 1º ano da instituição pública (65,2%), enquanto o contrário ocorreu na instituição particular, onde tal taxa foi maior entre os alunos do 4º ano (74%). Conclusão: Dessa forma, percebe-se que há presença de indícios depressivos entre os estudantes de medicina de ambas as universidades, logo, é importante realizar medidas que visem o reconhecimento de estudantes com suspeita de depressão para uma melhor orientação psicopedagógica.

Palavras-chave

estudantes de medicina; depressão; saúde mental; educação médica

Abstract

Purpose: To determine the prevalence of depression sign and its quantification in medical students according to the Beck’s Depression Inventory. Methods: Research protocols were analyzed applied to 220 medical students of 1st year and 4th year of a public institution and a private institution. It was collected the age, gender, origin and marital status; it was also used the Beck’s Depression Inventory, in order to evaluate the depressive disorder. Results: The predominant age group was 19-22 years, representing 50.9%. Of the respondents, 62.7% were women. Regarding marital status, only 5% of students were married and 95% single. Finally, the degree of depression was found: 59.5% without depression, 25.1% mild / moderate, 7.7% moderate / severe and 3.6% very serious. So prevalent was the presence of mild depressive indication in students from the 1st year (32.5%) compared to the 4th year (25%).Furthermore, the rate of students that had no depression signs was higher in students from the 1st year of a public institution (65.2%), when the opposite occurred at a private institution, where the rate was higher in students from the 4th year (74%). Conclusion: Concluding, it is noticed that there’s a presence of depression signs among medical students of both universities, therefore, it is important to undertake measures aimed at prevention and recognition that student to better psycho-pedagogical orientation.

Keywords

medical students; depression; mental health; medical education

Referências

1. World Health Organisation. Depression: a global crisis. Occoquan: World Federation for Mental Health; 2012.

2. Razzouk D, Razzouk D. Por que o Brasil deveria priorizar o tratamento da depressão na alocação dos recursos da Saúde? Epidemiol Serv Saude. 2016;25(4):845-8. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742016000400018. PMid:27869978.

3. Marques JFS, Sá SC, Freitas Fo WD, Santo LRE, Prince KA, Oliveira MVM. Transtorno depressivo maior em idosos não institucionalizados atendidos em um centro de referência. Arquivos de Ciências da Saúde. 2017;24(4):20-4. http://dx.doi.org/10.17696/2318-3691.24.4.2017.804.

4. Araújo AC, Neto FL. A nova classificacão americana para os transtornos mentais - o DSM-5. Rev Bras Ter Comport Cogn. 2014;XVI:67-82.

5. Wang YP, Gorenstein C. Psychometric properties of the Beck Depression Inventory-II: a comprehensive review. Rev Bras Psiquiatr. 2013;35(4):416-31. http://dx.doi.org/10.1590/1516-4446-2012-1048. PMid:24402217.

6. Abrão CB, Coelho EP, Passos LBS. Prevalência de Sintomas Depressivos entre Estudantes de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia. Rev Bras Educ Med. 2008;32(3):315-23. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022008000300006.

7. Fleck MP, Berlim MT, Lafer B, Sougey EB, Porto JAD, Brasil MA, et al. Revisão das diretrizes da Associação Médica Brasileira para o tratamento da depressão (Versão integral). Rev Bras Psiquiatr. 2009;31(Suppl Suppl 1):S7-17. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462009000500003. PMid:19565151.

8. Oliveira GS, Rocha CA, Santos BÉF, Sena IS, Favaro L, Guerreiro MC. Prevalência e fatores associados à depressão em estudantes de medicina da Universidade Federal do Amapá. Revista de Medicina e Saúde de Brasília. 2017;5(3):186-199.

9. Gorenstein C, Andrade LHSG. Inventário de depressão de Beck: propriedades psicométricas da versão em português. Rev Psiquiatr Clin (Santiago). 1998;25(5):245-50.

10. Pacheco JP, Giacomin HT, Tam WW, Ribeiro TB, Arab C, Bezerra IM, et al. Mental health problems among medical students in Brazil: a systematic review and meta-analysis. Rev Bras Psiquiatr. 2017;39(4):369-78. http://dx.doi.org/10.1590/1516-4446-2017-2223. PMid:28876408.

11. Barbosa R, Martins M, Carmo F, Jacques T, Serpa R, Calil O, et al. Study on lifestyles and stress levels in medicine students. International Journal of Cardiovascular Sciences. 2015;28(4), 313-19. http://dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20150045.

12. Moutinho IL, Maddalena NC, Roland RK, Lucchetti AL, Tibirica SH, Ezequiel OD, et al. Depression, stress and anxiety in medical students: A cross-sectional comparison between students from different semesters. Rev Assoc Med Bras. 2017;63(1):21-8. http://dx.doi. org/10.1590/1806-9282.63.01.21. PMid:28225885.

13. Scheffer MC, Cassenote AJF. A feminização da medicina no Brasil. Rev Bioet. 2013;21(2):268-77. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-80422013000200010.

14. Paula JDA, Borges AMFS, Bezerra LRA, Parente HV, Paula RCDA, Wajnsztejn R, et al. Prevalence and factors associated with depression in medical students. J Hum Growth Dev. 2014;24(3):274-81. http://dx.doi.org/10.7322/jhdg.88911.

15. Oliveira EM. Prevalência de sintomas depressivos em estudantes de Medicina da Universidade Federal da Bahia [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2013.

16. Vasconcelos TC, Dias BRT, Andrade LR, Melo GF, Barbosa L, Souza E. Prevalência de sintomas de ansiedade e depressão em estudantes de medicina. Rev Bras Educ Med. 2015;39(1):135-42. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v39n1e00042014.

17. Sobowale K, Zhou N, Fan J, Liu N, Sherer R. Depression and suicidal ideation in medical students in China: a call for wellness curricula. Int J Med Educ. 2014;5:31-6. http://dx.doi.org/10.5116/ijme.52e3.a465. PMid:25341209.

18. Bassols AM, Okabayashi LS, Silva AB, Carneiro BB, Feijó F, Guimarães GC, et al. First- and last-year medical students: is there a difference in the prevalence and intensity of anxiety and depressive symptoms? Rev Bras Psiquiatr. 2014;36(3):233-40. http://dx.doi.org/10.1590/1516-4446-2013-1183. PMid:24676042.

19. Moro A, Valle J, Lima L. Sintomas depressivos nos estudantes de medicina da Universidade da Região de Joinville. Rev Bras Educ Med. 2005;29(1):97-102.

20. Puthran R, Zhang MW, Tam WW, Ho RC. Prevalence of depression amongst medical students: a meta-analysis. Med Educ. 2016;50(4):456-68. http://dx.doi.org/10.1111/medu.12962. PMid:26995484.

5d7f9b750e8825b25ebbebff prmjournal Articles
Links & Downloads

PRMJ

Share this page
Page Sections